Português Jurídico
Descrição

Na década de 1980, o Judiciário brasileiro encontrava-se em um formato bastante fechado, dificultando a comunicação com a sociedade, que era alheia a seus termos e expressões excessivamente rebuscadas. A apropriação do latim se dava da forma mais completa e requintada, privando, muitas vezes, o entendimento de quem não fosse integrante dos tribunais e gabinetes.

Com o passar do tempo, devido à evolução natural da língua e ao ingresso de novos profissionais na área jurídica (assim como a percepção da necessidade de se alcançar a comunidade), fez-se necessário aperfeiçoar essa linguagem.

Diante da necessidade de estabelecer equilíbrio entre o uso formal e coloquial, além da boa escrita, em consonância com a norma culta da língua, a Faros Educacional criou um modelo de curso que busca preparar o profissional que acabou de entrar na área jurídica, bem como reciclar e atualizar os recursos de linguagem daqueles que já atuam na área.

Trata-se de um pacote com três módulos, os quais apresentam para o aluno a contextualização da linguagem jurídica, informações necessárias para a redação de e-mails oficiais, cartas e ofícios e um pacote completo de gramática aplicada ao meio.